Saiba como economizar na compra e venda de imóveis com seguro

Saiba como economizar na compra e venda de imóveis com seguro

Você sabia que o seguro habitacional é obrigatório na hora da compra de um imóvel? Esse serviço é importante, pois traz algumas seguranças ao crédito imobiliário, garantindo que o imóvel será quitado em casos de morte ou invalidez permanente, sem que ele seja tomado.

O seguro habitacional é composto por dois itens: o MIP (morte e invalidez permanente) e DFI (danos físicos ao imóvel). Mas mesmo sendo necessária sua contratação, é possível minimizar custos para baratear o valor total financiado. Afinal, esses seguros podem representar de 3% a 16% do valor total financiado.

Saiba como economizar na compra e venda do imóvel com seguro com essas dicas simples do artigo de hoje. Além disso, você vai entender para que serve cada um deles, como o que cobrem e como podem variar entre as instituições financeiras.

Conheça os seguros habitacionais

A inclusão do MIP e DFI está prevista na Lei nº 4.380/1984 e no Decreto nº 73/1966, que dizem que todo financiamento feito no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) deve incluir o pagamento dos dois seguros, a serem pagos junto às parcelas do financiamento.

A obrigatoriedade é apenas para quem utiliza o FGTS como parte do financiamento, e para imóveis de até 750 mil reais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e no Distrito Federal; para os demais estados, o teto para obrigatoriedade dos seguros é de 650 mil reais.

O MIP é o seguro responsável pela garantia de quitação do saldo devedor em casos de morte e invalidez permanente do comprador ou de um dos integrantes da renda familiar, quando o contrato do financiamento indicar que mais de uma pessoa compõe a renda para o pagamento do imóvel.

Já o DFI garante ao comprador a cobertura de prejuízos causados ao imóvel por conta de fatores externos, como incêndio, explosão, inundação, destelhamento ou desmoronamento total e parcial. Nesse caso, a indenização é ofertada num valor equivalente ao necessário para o reparo dos prejuízos.

Como economizar com o seguro habitacional

Um grande problema encontrado por quem vai comprar um imóvel é a variação das taxas aplicadas pelos bancos. Para se ter uma ideia, a diferença pode chegar a até 135 mil reais – é o que revela estudos feitos pelo Canal do Crédito. A variação pode chegar a até 16%, pesando seriamente no bolso do comprador.

Para quem vende, essas diferenças podem acarretar no adiamento da venda. Por isso, é importante saber recomendar ao comprador a regra básica para economizar na hora do financiamento, fazendo com que a compra seja garantida.

Por ter um sistema bancário com tantas variações de taxas, a melhor forma de economizar na compra e venda de um imóvel com seguro é fazer simulações em diversos bancos e comparar as taxas ofertadas. Vale ressaltar que na hora da comparação, é preciso ficar de olho no Custo Efetivo Total (CET), taxa que engloba todas as despesas com o financiamento.

Quer mais dicas de como comprar e vender um imóvel com segurança e agilidade? Acompanhe as novidades da Mendes Ortega, e conte com a expertise dos nossos corretores!

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

Procurando um imóvel? Fale conosco!